terça-feira, 28 de março de 2017

Cerb ensina a estudantes da Ufba técnicas de perfuração de poços

cerb

O Departamento de Hidrogeologia da Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (Cerb), vinculada à Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento do Estado (SIHS), vem realizando intercâmbio com as universidades baianas, buscando divulgar os trabalhos que desenvolve na área de hidrogeologia e de perfuração e poços.

 Na semana passada, os alunos do curso de Graduação em Geologia da Universidade Federal da Bahia (Ufba), acompanhados pelo professor Cristovaldo Bispo, visitaram a sonda PR 22, no município de Candeias, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), onde os assistiram aula prática ministrada pelo geólogo Jaime Matos, especialista na área de sedimento do Departamento de Hidrogeologia (DHID). Os alunos se informaram sobre a metodologia de locação de poços na bacia sedimentar e dos ferramentais utilizados pela Cerb na construção de poços tubulares no sedimento.

Piscicultores do Baixo-Sul recebem equipamentos e insumos

Piscicultores do Baixo-Sul recebem equipamentos e insumos

Os produtores da região Baixo-Sul da Bahia serão beneficiados, nesta quarta-feira (29), com a doação de insumos e equipamentos para aumentar a produção de peixes na região. Os piscicultores da Cooperativa de Águas Continentais (Coopecon) receberão 100 mil alevinos de tilápias e 70 bolsões para o cultivo de peixes. Cerca de 100 famílias de seis cidades da região serão beneficiadas com a ação. A doação será feita pela Bahia Pesca, empresa vinculada à Secretaria da Agricultura do Estado (Seagri), durante o lançamento do Plano de Apoio aos Empreendedores do Território do Baixo Sul, em Valença, no Centro de Cultura Olívia Barradas (rua Maestro Barrinha), a partir das 8h30.

 Os produtores receberão assistência técnica da Bahia Pesca para aperfeiçoar a utilização dos recursos e garantir o aumento na produção e na renda. A empresa também vai fornecer a 19 produtores da região as Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAP), documento imprescindível para acesso a políticas públicas como o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o Programa de Aquisição de Alimentos e o de Habitação Popular.

 “Com a DAP o pescador é reconhecido como produtor rural e pode acessar diversos programas do governo federal para desenvolvimento da pesca e aquicultura, como financiamentos com baixa taxa de juros. Desta forma, ele pode garantir os recursos para investir na piscicultura e, com a assistência técnica adequada, gerar alimento, emprego e renda para si e para sua comunidade”, explica o presidente da Bahia Pesca, Dernival Oliveira Júnior.

Primeiro trimestre tem redução de 25% no índice de roubo a banco

Primeiro trimestre tem redução de 25% no índice de roubo a banco

A Bahia já apresenta uma redução de 25% no número de roubo a bancos, comparando os períodos entre 1 de janeiro e 26 de março dos anos de 2017 e 2016. No total, são 21 casos este ano, contra 28 do ano passado. Os dados foram apresentados na manhã desta terça-feira (28), pelo secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, aos integrantes da Comissão de Segurança e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, durante reunião no Centro de Operações e Inteligência, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

 Esta modalidade de crime - que também teve queda no ano de 2016 em relação a 2015, com 137 casos a menos - foi uma das que mais reduziram ao longo dos últimos três anos. "Nós entendemos que ações como a que aconteceu em Irecê assustam a população e causam a sensação de insegurança. No entanto, garantimos que o número de crimes deste tipo está com diminuição expressiva em todo estado, mostrando que os esforços das polícias estão surtindo efeito. Só nos últimos cinco anos, mais de 800 integrantes de quadrilhas especializadas foram presos", destacou Maurício Barbosa.

 Na reunião, onde também foram apresentados os planos da segurança pública da Bahia para os próximos anos, os deputados esclareceram dúvidas sobre os investimentos do Governo do Estado no setor, bem como os principais indicadores criminais. Barbosa ressaltou ainda a importância do envolvimento dos diversos setores da sociedade para a prevenção à violência.

 Presidente da comissão, o deputado Marcelino Galo aprovou a iniciativa da SSP de promover o encontro - o primeiro realizado no Centro de Operações - e destacou a importância do engajamento de todos para que os baianos se empenhem em prol da segurança no estado. Também participaram da reunião o subsecretário da Segurança Pública, Ary Pereira de Oliveira, o comandante-geral da PM, coronel Anselmo Brandão, o delegado-geral da Polícia Civil, delegado Bernardino Brito, o diretor do Departamento de Polícia Técnica, Élson Jeffesson, e o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Francisco Telles.

Inscrições para o Mais Futuro seguem até a sexta-feira


Nesta sexta-feira (31) encerra o prazo limite do período de inscrição no Programa Mais Futuro, do Governo do Estado. Estudantes das quatro universidades estaduais devem ficar atentos para não perderem a oportunidade de receber bolsa auxílio permanência e ter prioridade em vagas de estágio na área dos cursos que escolheram. O programa de assistência estudantil - o primeiro desenvolvido pelo Governo do Estado na história da Bahia - atende somente quem está com dados atualizados no CadÚnico, e que tenha renda familiar mensal de até três salários mínimos. Para participar, o interessado também não pode possuir vínculo empregatício e não deve ter concluído qualquer outro curso de nível superior.

 “Não se trata de uma seleção. Basta o estudante preencher os requisitos que poderá realizar as inscrições para receber os benefícios. A meta do programa é atender cerca de nove mil estudantes, independente da idade e do curso escolhido. Esta é uma maneira de incentivar o estudo superior e evitar a evasão”, explica o pró-reitor de Assistência Estudantil da Uneb, Ubiratan Azevedo de Menezes.

 Natural da região de Irecê, a estudante de fonoaudiologia da Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Vitória Sarmento, já está inscrita no programa. Para a garota de 18 anos, de família humilde, e que mora em Salvador de aluguel, a ajuda chegou em boa hora. “As vezes é mais fácil entrar na faculdade do que continuar. Aqui em Salvador o custo de vida é alto. São muitas as despesas. Esse programa veio ajudar quem tem vontade de estudar e crescer profissionalmente. Isso é muito importante”, afirma.

 Para realizar a inscrição, o estudante deverá manifestar formalmente o interesse de participar do programa por meio da página na internet. O próximo passo é se cadastrar na unidade de ensino, apresentando documentos como RG, CPF, comprovante de residência, folha de resumo do CadÚnico e termo de aceite e compromisso do aluno, encontrado no edital. O pagamento das bolsas será feito diretamente ao próprio estudante, através de cartão, em conta bancária criada exclusivamente para esta finalidade.

O Mais Futuro é um programa de assistência estudantil criado pelo Governo do Estado para garantir a permanência dos estudantes em condições de vulnerabilidade socioeconômica, nas universidades públicas estaduais (Uneb, Uefs, Uesb e Uesc). A iniciativa, que terá investimento de R$ 50 milhões até o final de 2018, integra o Programa Educar para Transformar.

 Benefícios 

 O auxílio permanência tem valor de R$ 300 ou R$ 600 mensais. O primeiro valor é destinado a universitários que estudam a até 100 quilômetros da sua cidade de origem. Já o segundo é para aqueles que moram em cidades a mais de 100 quilômetros de distância do campus onde estão matriculados. Estando dentro do perfil do programa, o estudante poderá receber o auxílio desde o primeiro semestre até completar dois terços do curso.

 No terço final da graduação, os beneficiários terão a opção e prioridade para ingressar em vagas de estágio de nível superior ofertadas por órgãos e secretarias do Governo do Estado. Os estudantes que já estão na fase final do curso e atendem os critérios também podem ingressar no programa, já na fase do estágio.

Salvador sedia encontro sobre modernização da gestão fazendária

Na próxima quinta (30) e sexta-feira (31), Salvador vai sediar a 34ª Reunião da Comissão de Modernização da Gestão Fazendária (Cogef), grupo técnico vinculado ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). Organizado pela Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz-BA), o encontro acontece no Hotel Sol Vitória Marina, localizado na Avenida Sete de Setembro.

 No primeiro dia, o programa inclui a realização de um seminário sobre administração financeira, que terá quatro painéis sobre os temas: modernização da gestão da dívida pública, parcerias público-privadas (PPPs), modernização da gestão contábil e qualidade do gasto e gestão de custos. Representantes da Sefaz-BA apresentarão os resultados obtidos pela Bahia nas áreas de PPP e de qualidade do gasto público.

 Referência em gestão de contratos de parcerias público-privadas e concentrando 30% das PPPs na área de saúde no Brasil, a Bahia reúne seis contratos em execução e um em fase de consulta pública para a elaboração de edital, com vistas à implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). No que diz respeito à qualidade do gasto, o Governo da Bahia conseguiu obter, no biênio 2015-2016, uma economia real de R$ 1,2 bilhão nas despesas com custeio. O controle de gastos reverteu o padrão histórico de crescimento desse tipo de gasto no estado, em geral equivalente à inflação ou acima desta.

 Modernização 

 Na sexta (31), o encontro do Cogef terá reuniões técnicas para discutir a situação dos programas de modernização dos estados e do Distrito Federal e também a formalização de novos programas voltados para promover melhorias na gestão fiscal, entre outros assuntos. A Bahia, como estado anfitrião, terá espaço para apresentar um painel sobre 'Melhoria da Produtividade da Fiscalização Tributária'.

 Criada em 2008, por deliberação do Confaz, a Cogef tem como atribuições coordenar e harmonizar os aspectos técnicos dos programas de modernização da gestão fiscal dos estados e do Distrito Federal, promover e articular o desenvolvimento de ações de cooperação e integração entre os fiscos. Também promove o compartilhamento de soluções e produtos e a gestão do conhecimento.

Consumidores de energia elétrica terão desconto na tarifa em abril

Conta de luz (Arquivo/Agência Brasil)

Em abril, os consumidores de energia elétrica terão um desconto na tarifa, por causa da devolução dos valores cobrados a mais no ano passado. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou hoje (28) o processo extraordinário de ajuste nas tarifas de 90 distribuidoras do país. Os percentuais de redução na tarifa que será aplicada em abril variam de 0,95% a 19,47%.

 Vai haver devolução porque o custo da energia proveniente da termelétrica de Angra 3 foi incluído nas tarifas do ano passado, mas a energia não chegou a ser usada porque a usina não entrou em operação. O valor total a ser devolvido será de R$ 900 milhões.

 Anteriormente, a Aneel havia dito que o valor da devolução poderia chegar a R$ 1,8 bilhão, mas o cálculo foi reduzido porque nem todas as distribuidoras haviam cobrado os valores a mais em 2016, já que o montante foi incluído no processo de reajuste de cada concessionária, de acordo com o seu aniversário tarifário.

 Como será a devolução 

 O procedimento de devolução dos recursos terá duas etapas. Na primeira, durante o mês de abril, a tarifa será reduzida para reverter os valores de Angra 3 incluídos desde o processo tarifário anterior e, ao mesmo tempo, deixará de considerar o custo futuro do Encargo de Energia de Reserva (EER) desta usina.

 Na segunda etapa, que começa em 1º de maio e permanece até o próximo processo tarifário de cada distribuidora, a tarifa apenas deixará de incluir o EER de Angra 3.

 A Aneel também determinou que as distribuidoras incluam um texto padronizado nas faturas de abril e maio de 2017 para informar os consumidores sobre o processo de ajuste. As concessionárias também devem usar outros meios de comunicação para divulgar o movimento tarifário.
Fonte: Agência Brasil

“Feira em Flores” chega a quinta edição em Feira de Santana

A magia, as cores e as várias formas das flores vão embelezar Feira de Santana através da “Feira em Flores de Holambra”, um evento beneficente que tem como objetivo principal arrecadar fundos para as obras do Centro Espírita Beneficente União do Vegetal. Em sua quinta edição no município, a feira acontece de 30 de março a 09 de abril no estacionamento da Prefeitura. A cidade já abraçou o evento que nas primeiras edições atraiu a participação de milhares de pessoas por dia de realização.

 Além de atrair a participação da comunidade pela beleza das flores, a feira também chama a atenção para a conscientização de todos quanto ao cuidado e a preservação da natureza. Plantas como orquídeas, mine-rosas, bromélias, pata-de-elefante, lírios, pinheiros, violetas, girassóis e bonsais de várias espécies, fazem parte da exposição. Ao todo, são em média 200 espécies diferentes que chegam às feiras a cada três dias, distribuídas em aproximadamente cinco mil vasos. Outra característica do evento são os preços bastante acessíveis.

 Holambra é uma pequena cidade do estado de São Paulo, conhecida nacionalmente como “Cidade das Flores”. Sua produção de flores e plantas ornamentais é responsável por cerca de 50% da produção nacional e emprega 45% da população da cidade. As primeiras plantações na cidade, datam dos anos 40 com a chegada de três famílias de agricultores holandeses na região.

 Atualmente, a produção conta com equipamentos modernos, um rigoroso sistema de controle de qualidade e uma complexa logística para assegurar flores e plantas sempre lindas e frescas aos mais diversos cantos do país. Desde o seu primeiro ano de realização em Salvador (2009), atraiu cerca de 100 mil visitantes, segundo dados fornecidos pelo Salvador Shopping - local onde a feira é realizada em Salvador.

 A cada ano o evento ultrapassa o número de pessoas em circulação. Em 2011, a feira foi expandida e além de acontecer em Salvador, passou a integrar o calendário de eventos de outras cidades como: Vitória da Conquista, Ilhéus, Santo Antônio de Jesus, Fortaleza, Caruaru, Campo Grande, dentre outros. A feira acontece das 08 as 19 horas.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Patrimônios materiais e imateriais guardam memória da Bahia

Museu Solar do Ferrão

Entre a conservação de imóveis, administração de museus, dinamização de espaços públicos, apoio a projetos sociais e muitas outras ações, os patrimônios culturais materiais e imateriais sob responsabilidade do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) guardam a memória e contam a história do baiano. Tanto na capital, quanto no interior do estado, o órgão é também responsável por restaurações, consultorias, inventários, documentos históricos, tudo que guarde uma íntima relação com a Bahia ou ainda com a formação de seu povo. São inúmeras e muito diversas as atribuições do instituto que, neste ano, completa cinquenta anos de funcionamento.

 Segundo o diretor geral do Ipac, João Carlos de Oliveira, o aniversário da instituição remete a novos desafios para o futuro. “A preservação da cultura é uma política bastante ampla e, depois de cinco décadas de história, hoje temos que pensar em estratégia e gestão para os próximos 50 ou 100 anos. Entendemos que o processo de restauração não tem resultado se não houver um plano de gestão estratégica pensado para cada lugar, para cada museu, ou imóvel. E por isto queremos apresentar, ainda neste ano, como política pública, um projeto de distrito de economia criativa para ocupar estes lugares. Também devemos fortalecer as políticas no interior, nos aproximando das prefeituras, para elaborar estratégias para cada região”, contou o diretor geral.

 Ocupação de imóveis 

 Somente no Centro Histórico, em Salvador, cerca de quatrocentos imóveis estão sob responsabilidade do Ipac, utilizados para os mais diferentes objetivos. É o caso do casarão nº 22, na rua das Laranjeiras, no Pelourinho. O local passa por uma reforma para se transformar no Pouso das Artes, uma residência temporária para receber artistas do interior, de outros estados e estrangeiros que venham a trabalho para Salvador e não tenham hospedagem. Serão dois apartamentos prontos para abrigar quem esteja em atividades como intercâmbio, formação, criação, difusão, pesquisa e memória das artes. Com uma equipe de dez pessoas tem trabalhado diariamente para deixar tudo pronto, a obra está em fase de ajustes, como pintura, colocação de portas e recuperação de parapeitos. Resultado de uma parceria com a Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), a previsão é que a casa esteja pronta em julho deste ano.

 Em frente ao Pouso das Artes, outro imóvel que pertence ao instituto também está ocupado, funcionando com a sede do Projeto Axé no Pelourinho, ação do projeto “Dei Valor!”, do Ipac. No casarão a organização não-governamental atende, diariamente, cerca de duzentos jovens para aulas de música, artes plásticas, artes visuais, informática, tudo gratuitamente. Para a gerente pedagógica e administrativa do projeto, Luciana Xavier, ter o apoio do Instituto é fundamental para a manutenção das atividades. “Como não temos fins lucrativos, sem esse espaço cedido, não teríamos como pagar por uma estrutura física como essa. Atendemos jovens aqui em situação de vulnerabilidade social e se não fosse por este prédio não conseguiríamos atender a quantidade de meninos e meninas que temos aqui hoje”, contou Luciana.

 Restauração 

 Segundo o diretor geral do Ipac, João Carlos, a atividade de conservação dos imóveis é a mais lembrada pela população baiana, mas os trabalhos não se resumem a ela. “As pessoas estão muito acostumadas a pensar em prédios e edificações tombadas quando se fala em conservação, a pensar em móveis e artes antigas quando falamos em restauração, mas existe uma outra vertente que é do patrimônio imaterial. São aquelas manifestações culturais que fazem parte da construção identitária da sociedade, e tudo isso também está sob responsabilidade do Ipac.

 Especificamente para a conservação das riquezas materiais, a Coordenação de Restauro de Elementos Artísticos (Cores) mantem, também no Pelourinho, ateliês que cuidam de móveis, pinturas, esculturas, arte em papel, documentos, lustres, fachadas, arquiteturas. O trabalho, que envolve cerca de quarenta profissionais, é para manter a ideia e forma original dos artistas, independentemente da idade das peças. Para a coordenadora da Cores, Kátia Berbert, a tarefa vai muito além da restauração. “Trabalhamos aqui principalmente com a conservação, a preservação e temos a restauração como última instância para nossas atividades, porque temos apostado num trabalho preventivo. O ideal é que cuidemos dos nossos patrimônios para que eles não tenham que ser restaurados. Mas, para todos aqueles que tiverem que passar por restauração, estamos prontos para recuperar e cuidar de nossas riquezas materiais”, contou a coordenadora.

 Administração de museus 

 O Ipac também responde pela administração de largos, praças, e museus como o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), Museu de Arte da Bahia (MAB), Palacete das Artes, Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica, Museu Tempostal e Centro Cultural Solar Ferrão, na capital. No interior do estado, responde pelos museus dos Humildes, em Santo Amaro, do Recôncavo em Candeias, e pelo Parque Castro Alves, em Cabaceiras do Paraguaçu.

 No Centro Cultural Solar Ferrão, localizado em um casarão tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), estão a Galeria Solar Ferrão, o Museu Abelardo Rodrigues e três coleções: a de Arte Africana Claudio Masella, a de Arte Popular e a de Instrumentos Musicais Tradicionais Emília Biancardi. Este mês, em homenagem ao aniversário de 468 anos de Salvador, o destaque do acervo do Abelardo Rodrigues é uma imagem do padroeiro da cidade, São Francisco de Xavier. Segundo a museóloga e responsável técnica pela coleção do museu, Jorma Souza, conhecer os acervos é também conhecer a própria história. “As pessoas costumam pensar à imagem de Senhor do Bonfim, mas não é. O São Francisco de Xavier que, no século XVII, foi considerado o responsável por livrar a cidade de Salvador de uma série de doenças, pois ele havia morrido de febre amarela”, explicou a museóloga.

Teatro Castro Alves comemora o mês do teatro e do circo

Na semana em que se comemoram o Dia Internacional do Circo e o Dia Mundial do Teatro (27), o Teatro Castro Alves convida o público a participar de uma programação especial que inclui a estreia de peças, oficinas para atores, bate-papo com um convidado ilustre e também um festival.

 A primeira atração é o projeto “Conversas Plugadas” com Jorginho de Carvalho, considerado o maior iluminador da história do teatro brasileiro e pioneiro da iluminação moderna no país. Natural do Rio de Janeiro, Jorginho, 70 anos, possui um currículo que reúne mais de 500 “desenhos de luz” para espetáculos de teatro, ópera, dança, shows, desfiles de moda, museus e exposições. O bate-papo com o público será na terça-feira (28), às 19h, na Sala Principal do TCA com a plateia no palco. A entrada é gratuita, sujeita à lotação do espaço (250 pessoas).

 Na quarta (29) e quinta-feira (30), também na Sala Principal acontece a estreia nacional do primeiro monólogo escrito e interpretado pelo ator baiano Caco Monteiro, “Godó, O Mensageiro do Vale”, com direção do inglês John Mowat. A peça é uma ficção inspirada em fatos reais, acontecidos no Vale do Paty, na Chapada Diamantina, Bahia, entre os anos de 1937 e 1985, quando os moradores foram obrigados a deixar o local após um decreto governamental que proibiu o cultivo do café. A apresentação – com a plateia no palco – começa às 20h com ingressos a R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia).

 Também estreando em Salvador, o espetáculo “2 x 2 = 5 - O Homem do Subsolo”, que traz de volta ao TCA o ator paraense radicado em São Paulo Cacá Carvalho. Desta vez, ele interpreta um homem em estágio terminal de miséria moral que adquire tamanha consciência de mundo, passando a rir de si mesmo e da humanidade. A montagem é inspirada no romance “Memórias do Subsolo”, do escritor russo Dostoiévski (1821-1881). Serão três apresentações no mesmo final de semana: sexta (31), às 20h30; e sábado (01) às 19h, com ingressos a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Já no domingo (02), pelo projeto Domingo no TCA, haverá sessão às 11h, com ingressos a R$ 1 (inteira) e R$ 0, 50 (meia).

O Teatro Castro Alves também está apoiando O IV Festival Maré de Março (de 25 de março a 02 de abril) que vai apresentar 29 espetáculos de rua em espaços alternativos de Salvador, em bairros como Rio Vermelho, Pituba, Amaralina, Barbalho, Dois de Julho, Pelourinho, Candeal, Ribeira e Centro. Nesta edição, o Festival dedica parte da sua programação ao público infantil e lança a PLATEIA - Plataforma de Teatro Para a Infância e Adolescência. No próprio TCA, acontecem de 27 a 29, das 10h às 13h, a oficina Circulação Nacional e Internacional, com Marcelo Bones; no dia 30, das 10h às 13h, tem bate-papo com Francis Wilker e Marcelo Sousa Brito e ainda, no dia 31, também das 10h às 13h, mais bate-papo com Bernhard Bub.

Desenbahia enfrenta a crise e apresenta lucro

Mesmo impactada pela grave crise econômica do Brasil, a Desenbahia contabilizou um lucro líquido de R$ 17,5 milhões em 2016. “Nossa estratégia incluiu ações visando reduzir distorções no mercado de crédito,a mitigar os efeitos recessivos da crise de liquidez e concentrando financiamentos a projetos com efeitos multiplicadores do desenvolvimento da economia e com grande capacidade de geração de riqueza”, ressaltou Otto Alencar Filho, presidente da Agência de Fomento. No período, as operações alavancaram investimentos da ordem de R$ 592,13 milhões, que representaram a criação ou a manutenção de mais de 19 mil postos de trabalho.

 Ao longo do ano, a Desenbahia liberou cerca de R$ 310 milhões em financiamentos, distribuídos por 20,2 mil operações. Com recursos de repasses do BNDES/Finame/BNB/FNE e com a utilização de Recursos Próprios, a instituição liberou R$ 218,7 milhões em 11,1 mil operações. Os recursos do Fundo de Desenvolvimento Econômico e Social - Fundese complementaram as liberações realizadas pela Agência, uma vez que lastrearam operações de financiamento que somaram R$ 91,2 milhões, distribuídos em 9,1 mil contratos.

 Parte significativa desses recursos - R$ 133 milhões - destinou-se a municípios baianos, o que permitiu que a Agência atingisse a marca de mais de R$ 300 milhões em contratos assinados com prefeituras do Estado da Bahia. Nesse caso, o foco das operações são investimentos em infraestrutura, equipamentos e máquinas, que geram melhorias na vida da população.

 Apoio ao agronegócio 

 Outro segmento que recebeu forte apoio da Agência de Fomento foi o agronegócio. Pelo terceiro ano consecutivo, a Desenbahia liderou a captação de negócios de crédito no maior evento estadual de agronegócio - a Bahia Farm Show. A participação do segmento rural na carteira da Desenbahia fechou o ano em 41%, em função do significado dos contratos com o setor, na casa dos R$ 243,2 milhões, no conjunto da carteira gerida pela Agência.

 O Presidente da Desenbahia, Otto Alencar Filho, destaca que “O resultado positivo foi fruto de muita determinação em atingir as metas e os objetivos pactuados, foco no Planejamento Estratégico e trabalho em equipe, buscando sempre atendimento de excelência ao Cliente, fomento de empresas produtivas e bons projetos com alto valor agregado, fortalecimento da recuperação de crédito e gestão austera do orçamento”. As despesas administrativas cresceram menos de 3% no ano, muito abaixo de qualquer indicador de inflação, e as reversões de provisão para operações de crédito cresceram quase que 90%.

 Inclusão social

 Ciente da importância do crédito nos programas de inclusão social, a Desenbahia contribui com a política de inclusão social e geração de renda do Governo Estadual através do Programa de Microcrédito - Credibahia, do apoio às atividades econômicas na Região do Semiárido e, ainda, por meio do programa de financiamento a táxis – o Protaxi. Em 2016, através do Credibahia, a Desenbahia beneficiou diretamente pequenos negócios localizados em 177 municípios, sendo 50% desses munícipios situados na Região Semiárida. O número de municípios beneficiados com o Programa de Microcrédito sobe para 248, ao serem computados financiamentos às cooperativas de crédito.

 Pelo programa Protaxi, a Agência liberou cerca de R$ 35 milhões, o que beneficiou 1.295 motoristas autônomos espalhados nos principais polos turísticos da Bahia.Com vistas a contribuir para o fortalecimento das micro, pequenas e médias empresas, a Desenbahia contratou 74 operações de crédito que somaram liberações da ordem de R$ 54 milhões. Esse valor liberado representou 28% a mais que o montante liberado em 2015. Todos os Territórios de Identidade do estado da Bahia se beneficiaram com os financiamentos concedidos pela Desenbahia em 2016. Somente para a Região Semiárida, a Agência destinou R$ 87 milhões em liberações de operações de crédito, cerca de 31% a mais que o valor liberado em 2015.

Nas operações com recursos do Fundo de Desenvolvimento Econômico e Social (Fundese), R$ 13,4 milhões foram destinados a micro e pequena empresas, R$ 10 milhões foram para empresas de médio porte e R$ 10,4 milhões foram para empresas de grande porte. Ainda com recursos do Fundese, foram liberados R$ 25 milhões para empreendimentos privados do Programa Vida Melhor e R$ 68 milhões no Programa Desenvolvimento Produtivo.

Professora de História cria versão virtual de museu do século 19

video escola 3D

Para proporcionar que os estudantes, pesquisadores e o público em geral conheçam um pouco mais sobre Salvador, a professora e historiadora Maria Antônia Lima Gomes, docente do Colégio Estadual Alfredo Magalhães, no bairro do Rio Vermelho, na capital, desenvolveu um museu virtual em 3D. Nele, é possível explorar o interior do Teatro São João da Bahia, onde atualmente funciona o Teatro dos Esportes, e também passear por locais do centro da cidade, a exemplo da Praça Castro Alves e da Freguesia da Sé.

 Para poder viajar no tempo e vivenciar a antiga Salvador, que neste quarta-feira (29) completa 468 anos - o interessado deve acessar o site do projeto e fazer o download gratuito do software na versão indicada para o computador a ser instalado. Com apenas alguns cliques, o usuário poderá visualizar objetos antigos e interagir com personagens históricos, como o imperador Dom Pedro II, o poeta Castro Alves, o maestro Carlos Gomes, o cantor Xisto Bahia e o jurista Rui Barbosa, que poderão fazer perguntas aos visitantes sobre assuntos da época.

 A iniciativa é resultado da tese de doutorado em Educação e Contemporaneidade, que a professora está fazendo na Universidade do Estado da Bahia (Uneb). Segundo ela, o projeto serve como fonte de pesquisa para estudantes e interessados por História da Bahia. “Os visitantes podem aprender, de forma dinâmica, sobre a nossa História, Geografia, Arte, Música e Cultura em geral. Em breve, a experiência será levada para a sala de aula para que os estudantes da rede estadual possam relacionar o passado com o presente, fazendo um resgate histórico de sua cidade”.

 O Teatro São João da Bahia foi construído em 1806, seguindo o padrão arquitetônico do Teatro São João de Lisboa, localizado em Portugal. O espaço cultural, inaugurado em 1912, foi o primeiro grande teatro de ópera do Brasil e possuía uma capacidade para até duas mil pessoas. O prédio foi desativado em 1923, após um incêndio.

Rui assina contrato de R$ 18 mi para obras de infraestrutura em Barreiras

O governador Rui Costa assina, na tarde desta segunda-feira (27), às 14h, na Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), contrato de financiamento de infraestrutura com o município de Barreiras, no valor de R$ 18,23 milhões, para a realização de obras de pavimentação e drenagem de logradouros situados no bairro Morada da Lua, no Loteamento São Paulo.

 O financiamento será concedido por meio da Agência de Fomento do Estado da Bahia (Desenbahia).

Museu da Escravidão e Liberdade deve ser aberto ao público até 2020, no Rio

A Prefeitura do Rio de Janeiro iniciou o projeto para a construção e inauguração do Museu da Escravidão e Liberdade. O local onde o novo museu ficará deve ser anunciado daqui a dois meses, mas será na região portuária, próximo de outros espaços, que compõe a região chamada de Pequena África.

 O museu, que de acordo com o planejamento será aberto ao público em julho de 2020, vai entrar na rota de turismo histórico que já inclui espaços como o Cais do Valongo, por onde cerca de 500 mil africanos escravizados entraram no Brasil, e o Cemitério dos Pretos Novos, onde aqueles que morriam logo após a chegada eram enterrados.

 Mas de acordo com a secretária municipal de Cultura, Nilcemar Nogueira, o museu também vai registrar a primordial contribuição dos povos africanos para a construção da cultura brasileira.

 A primeira iniciativa para a criação do museu foi a criação de um grupo de trabalho, composto por funcionários de várias secretarias da Prefeitura, que no futuro vai incorporar também um conselho da comunidade.

 Em seguida, o grupo vai elaborar os projetos de conteúdo e de arquitetura do museu, que deve abrigar peças e fomentar projetos escolhidos por um conselho curador. Mas a primeira aquisição já foi apresentada: um cadeado de ferro, que era utilizado para acorrentar escravos em uma fazenda de café demolida no município de Vassouras. A peça foi doada por Marconi Andrade, integrante do Conselho Municipal de Cultura.

 Por enquanto, o cadeado está exposto no Centro Cultural José Bonifácio, construído em 1877 para abrigar uma escola e reinaugurado em 2013 para sediar eventos relacionados à valorização da cultura negra.
Fonte: Agência Brasil

domingo, 26 de março de 2017

Oficina de artesanato capacita mulheres assistidas pela Ronda Maria da Penha


Cada dia mais presente na vida de centenas de mulheres, a Operação Ronda Maria da Penha (ORMP) desenvolve ações para combater o ciclo de violência doméstica. É o caso do projeto ‘Mulheres de Coragem’, realizado neste sábado (25), no Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep) instalado no bairro de Periperi, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, que promoveu oficinas de artesanato para as vítimas obterem uma renda e se tornarem mais atuantes e independentes em seu cotidiano.

 De acordo com a comandante das ações na ORMP, major Denice Santiago, a iniciativa dá suporte para que as vítimas não voltem a conviver com seus agressores. “Em muitos casos, precisamos lidar com uma situação de dependência econômica. Com essa oficina, estamos alimentando o empreendedorismo dessas mulheres. Trouxemos artesãos para ensinar o oficio e a intenção é que elas possam produzir peças e melhorarem seus recursos financeiros”.

 As mulheres que participam do projeto se sentem mais confiantes para iniciar uma nova etapa de vida. “Eu saí de um relacionamento abusivo, sem nenhuma perspectiva de futuro. Minha vida estava atrelada de uma maneira que não tinha como buscar meu sustento. Por isso, essas oficinas são tão importantes para todas nós. Aqui, aprendemos como nos mantermos nesse recomeço de vida. Agora, me sinto mais confiante para o que o futuro irá me trazer”, afirmou uma das vítimas assistidas pela operação.

 Para a capitã Paula Queirós, uma das organizadoras da ação, o projeto tem um impacto muito grande na autoestima das mulheres. “Além do aspecto econômico, aqui elas trabalham com arte, o que lhes dá uma oportunidade de buscar um novo significado de vida. Elas trabalham com produção de beleza e isso, sem dúvida nenhuma, reflete em suas rotinas diárias, como elas se aproximam das coisas cotidianas”.

 Solidariedade

 Com apoio do Instituto Avon e da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado (SPM), o projeto ganhou suporte também de voluntários. O departamento de ações sociais da torcida organizada Bamor fez a entrega de cestas básicas e kits de higiene para as assistidas em situação de maior vulnerabilidade social. Para o presidente da organização, Luciano Venâncio, todos devem abraçar a causa.

 “Temos feito ações desde o dia 1º de março, espalhando uma palavra de conscientização. Vimos as notícias sobre a operação e entramos em contato com a major para puder participar e ajudar essas mulheres em situação de risco.. Esse projeto tem uma importância grande, quanto mais pessoas puderem participar, melhor. É nosso papel como cidadãos”, enfatizou Venâncio.

Mais de 30 novas viaturas reforçam segurança em 16 municípios

segurança

Mais 16 municípios baianos receberam novas viaturas e equipamentos para as Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros Militares da Bahia. Um reforço no trabalho e aumento na agilidade do atendimento à população do interior do estado. Foram mais de R$ 3,5 milhões investidos em veículos novos e mais modernos, de modelos como Rangers, Spins, motocicletas, além de Base Móvel da PM. A entrega aos delegados titulares do interior e de comandantes de companhias, batalhões e grupamentos beneficiados foi realizada pelo governador Rui Costa, na manhã deste sábado (25), durante sua passagem pelo município de Cícero Dantas, no nordeste baiano.

 Ao todo, foram 21 viaturas para a Polícia Civil e 12 para a PM, além de veículos para os Grupamentos de Bombeiros Militares (GBM) de Juazeiro (9º GBM) e Paulo Afonso (15º GBM), incluindo equipamentos para salvamento e resgate de vítimas, aumentando a qualidade do serviço em cidades como Cícero Dantas, Cipó, Jeremoabo, Parapiranga, Canudos, Juazeiro, Sobradinho, Uauá, Monte Santo, Euclides da Cunha, Paulo Afonso e Rodelas.

 Pouco depois de entregar as chaves das viaturas, o governador falou sobre uma das prioridades de sua gestão, que é a segurança pública. "Para melhorar a eficiência e produtividade das forças policiais é necessário investir em novos equipamentos, que proporcionem mais conforto e mais agilidade. Precisamos valorizar também o trabalho de homens e mulheres que todos os dias colocam suas vidas em risco para proteger a nossa sociedade", enfatizou Rui.

 Para o comandante da 96ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM Sobradinho), os novos equipamentos melhoram a segurança pública no interior. "Nós vamos ter uma melhoria significativa na prestação de serviço à população de Sobradinho e Sento Sé. Com certeza, o combate à criminalidade vai ser muito mais eficaz, já que o novo veículo oferece mais mobilidade aos policiais, por ser de grande porte, permitindo chegar a localidades mais distantes e mais difíceis de acesso".

 Os investimentos se integram às outras entregas realizadas pelo governador em viagens pelo interior baiano. Esses equipamentos somam-se às mais de 1.500 viaturas que já foram entregues em todo o estado, desde 2015. Com a aplicação de R$ 201 milhões, nos últimos dois anos, o total de viaturas devem chegar a mais de duas mil.

 Infraestrutura e agricultura familiar 

 Além dos investimentos em segurança, a população de Cícero Dantas ainda comemorou a inauguração da nova pavimentação de um trecho da BR-110, que dá acesso ao município. Depois de serem investidos cerca de R$ 1,5 milhão, foram recuperados 3,7 quilômetros, beneficiando mais de 32 mil habitantes da cidade, que trafegam diariamente pelo trecho, e também de facilitando o escoamento da produção de grãos e da pecuária da região.

 Para o representante comercial Renato Tranquilli para quem trabalha viajando, a mova pavimentação ainda melhora a qualidade de vida das pessoas também. "Antes era muito esburacada, sem sinalização, sem iluminação, chegava a ser perigoso. Agora, não. A gente e economiza tempo e dinheiro, e também o corpo fica outra coisa. Eu, que trabalho dirigindo, ficava todo dolorido de passar nos buracos. Agora está um tapete. Obras assim têm que chegar no estado todo". Além desse trecho de rodovia, foi autorizada a pavimentação em paralelepípedos em sete ruas da cidade de Cícero Dantas, beneficiando duas mil famílias.

 Para a agricultura familiar, o governador assinou autorização de convênio do Programa Bahia Produtiva com a Cooperativa dos Apicultores do Sertão (Coapis). Serão fornecidos equipamentos, veículo e recursos para assessoria técnica que beneficiarão 36 famílias da região. Além destas, comunidades rurais de Cícero Dantas e Sítio do Quinto receberam, por meio de doação do Governo do Estado, dois carros pipas para abastecer os moradores.

 "Apoiamos agricultura familiar porque entendemos que o produtor produzindo mais e com melhor qualidade, vai vender mais, vai melhorar a renda dele. Movimenta a economia de todas as regiões e cidades onde moram esses produtores", afirmou o governador.